Evento

03 de Dezembro de 2018
El tempeh, rico en proteínas y mucho mais

Cada vez mais são as pessoas que escolhem seguir uma alimentação vegan. Esta escolha, bem planeada, fornecerá todos os nutrientes necessários e ajudará a manter e a melhorar sua saúde.

Numerosos estudos concluem que uma alimentação vegan protege contra o cancro intestinal. Os vegans têm um risco menor de desenvolver doenças cardiovasculares, bem como diabetes ou problemas de tireóide, e tendem a ter uma menor taxa de obesidade.

A proteína é muitas vezes o nutriente que é mais preocupante quando você decide parar de comer produtos de origem animal. No entanto, as nossas necessidades de proteína não são tão altas quanto costumamos pensar. A EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar) fala sobre 0,83 gramas por kilograma de peso e dia para adultos. Ou seja, uma pessoa que pese 70 kg precisaria comer menos de 70 gramas de proteína por dia.

Numa alimentação variada, existem muitos alimentos de consumo diário que contêm proteínas. As leguminosas, cereais e frutos secos são as melhores fontes de proteína vegetal, mas também os vegetais a contêm, por isso é muito raro que ocorram carências.

O nosso organismo é capaz de armazenar os aminoácidos das proteínas que ingerimos e usá-los sempre que precisamos deles.

Algumas fontes vegetais também fornecem proteínas completas ou alto valor biológico, ou seja, que possuem todos os aminoácidos essenciais na sua composição e em quantidade suficiente para produzir a nossa própria "proteína".

A soja, o grão-de-bico, alguns tipos de feijão, bem como quinoa e amaranto, ou alguns frutos secos, como o pistache e sementes como o cânhamo, são fontes de proteínas de qualidade completas.

Os derivados destes alimentos, como o tofu, o tempeh ou o natto, também são ricos em proteínas. Hoje apresentamos-lhe o tempeh, para que você conheça todos os seus benefícios para a sua saúde.

O tempeh é um derivado de soja fermentada originária da Indonésia. Já no século XII havia culturas de soja em Java e parece que a sua descoberta foi acidental. Um resíduo de soja que havia sido descartado durante a fabricação de tofu, prendeu uns esporos que produziam o característico fungo esbranquiçado que cobre o tempeh descobrindo-se, quando testado, que era comestível.

Atualmente, é um dos alimentos mais consumidos naquele país, e é muito comum  preparar-se em casa. A sua elaboração é feita através de um processo de fermentação controlada a partir do grão de soja e do fungo Rhizopus.

Também no nosso país o tempeh está a tornar-se cada vez mais popular graças aos muitos benefícios que traz para a nossa saúde, além de ser um alimento rico em proteínas.

 

1.- Fonte de probióticos:

O tempeh é um alimento fermentado e, portanto, uma fonte de probióticos para os nossos intestinos.

Os probióticos atuam instalando bactérias benéficas para os nossos intestinos que ajudam a controlar as bactérias chamadas "ruins" e contribuem para uma melhoria da nossa microbiota e do nosso sistema imunológico.

 

2.- Reduz o colesterol:

As isoflavonas de soja, que também podem ser encontradas no tempeh, ajudam a reduzir os níveis de colesterol LDL, bem como o colesterol total.

Além disso, o tempeh é rico em Niacina. Esta vitamina (B3) é conhecida por ajudar a elevar os níveis de colesterol HDL "bom" e a reduzir os triglicerídeos e o colesterol "ruim". O resultado é uma redução no risco de sofrer de doenças cardiovasculares associadas a um excesso de colesterol no sangue

 

3.- Aumenta a densidade óssea:

O tempeh é um alimento rico em cálcio e magnésio, essenciais para a manutenção de ossos fortes.

Outro mineral presente no tempeh é o cobre. Este oligoelemento também desempenha um papel interessante no crescimento dos ossos. Além de ajudar a saúde dos tecidos conectivos, uma deficiência de cobre está associada ao aumento da fragilidade dos ossos. Estudos realizados na Universidade de Akron, Ohio, sugerem que o consumo de cobre aumenta a taxa de recuperação de fraturas ósseas.

 

4.- Ajuda para a diabetes:

O tempeh contém 65% da quantidade recomendada de manganês. Foi observado que os diabéticos têm níveis mais baixos do que o habitual deste oligoelemento.

O manganês intervém no uso da insulina, ajudando a regular os níveis de glicose no sangue.

 

5.- Ajuda na prevenção e desenvolvimento do câncro:

A angiogenese é um processo fisiológico pelo qual se geram novos vasos sanguíneos a partir de outros já existentes. Este processo, que é completamente normal e vital para o nosso crescimento, também intervém no desenvolvimento de processos tumorais.

De acordo com inúmeros estudos, as isoflavonas de soja também presentes no tempeh, especialmente a genisteína e daidzeína, parecem dificultar a angiogenese, reduzindo assim o crescimento tumoral.

 

Ver todos os eventos

Outros Eventos


Tem alguma dúvida? Contate-nos


RECEITAS

NOTíCIAS