Notícias

24 de Outubro de 2018
Notícia cedida por Montse Bradford

O frio sopas, cremes, caldos e ensopados

Chegam os meses frios e com eles a maravilha de podermos nutrir-nos com pratos quentes e revigorantes que nos geram calor interior.

Estes pratos fazem parte da cultura do nosso povo. Ainda é possível recordarmos algumas receitas que a nossa mãe ou avó preparavam para nós. Prontos desde manhã, estas sopas e ensopados íam cozinhando lentamente, e o sabor dos legumes do campo, os cereais e as leguminosas integravam-se completamente, resultando num prato único que nos oferecia energia e vitalidade para enfrentar o clima frio dos meses de outono e inverno. Podemos lembrar-nos dessa experiência servindo-a pronta para comer, fumegante e com a sabor a ervas aromáticas.

 

Estes pratos foram desaparecendo do nosso repertório culinário, porque nós cozinhamos com pressa e acabamos por abrir latas, descongelando ou comprando comida preparada. Não é necessário dedicar toda a manhã a uma sopa como esta, mas pode ser cozinhada na noite anterior enquanto preparamos o jantar, tomamos banho ... É uma questão de nos organizarmos e pensarmos antecipadamente.

O nosso corpo precisa deste tipo de pratos, especialmente nos meses de frio e umidade para nos dar foco, equilíbrio, calor interior, fortalecer e mineralizar.

Hoje em dia, devido ao nosso estilo de vida caótico, de pressa, stress e falta de foco, pensamos que não temos tempo, embora seja uma questão de priorizar a nossa saúde e refletir sobre os verdadeiros valores da vida.

E um de eles é entender a importância da alimentação natural e energética.

·      Comemos para gerar uma boa qualidade de sangue.

·      Que os alimentos podem revitalizar-nos e dar-nos uma qualidade de vida, se entendermos que efeito e reações geram nos nossos corpos (físico, emocional, mental) a curto e longo prazo.

É uma questão de lógica e senso comum. Se estiver calor, apetece-nos comer mais crus na forma de saladas e frutas, porque a energia deles refresca-nos. Se estiver frio, temos que começar a comer mais pratos cozinhados, reduzindo os crus em geral.

A maioria das pessoas comem a nível sensorial, emocional ou por hábito, mas devemos estar atentos diariamente e refletir, não apenas o que queremos, mas o que "necessitamos".

Se continuarmos a ingerir alimentos e bebidas que nos refrescam, desmineralizam, dispersam e abrem a nossa energia vital, sentiremos muito mais o frio e, com ele, teremos constipações, gripes, tosses e, em geral, uma fraqueza do nosso sistema imunológico.

 

Algumas ideias para estes meses invernis de sopas, caldos e ensopados para utilizar semanalmente. Pontos a ter em conta:

Preparar uma sopa, caldo ou ensopado requer um pouco de atenção; não é suficiente colocar uma panela ao lume com água e os ingredientes a cozer.

 

1) LÍQUIDO: Pode ser que desejemos utilizar em vez da água, algum caldo de legumes, mas é importante que seja fresco.

Para fazer um bom caldo, podemos usar todos os tipos de legumes, especialmente cebolas ou alhos-porros, cenoura, repolho, aipo, abóbora, couve-flor ... O segredo é ferver a água, adicionar o alho-porro ou cebola e deixe ferver alguns minutos sem tampa. Assim, estes vegetais vão liberar a sua doçura.

Em seguida, vamos adicionar o resto, juntamente com algumas ervas aromáticas a gosto e uma tira de alga, de preferência kombu ou wakame, que fornecerá um elemento de reforço e remineralização.

Pode ferver tudo, com tampa em lume médio / baixo durante 30 minutos. Se usarmos alga kombu, depois de cozinhá-la, pode ser picada.

É importante não adicionar todo o líquido (que achamos que precisamos) no início, já que os vegetais em si já produzem bastante e aumentam o volume da sopa.

É melhor cozinhar com pouco líquido e ajustar a consistência desejada no final, juntamente com os temperos. É claro que, se estivermos cozinhando algo denso: cereais, leguminosas ou massas, teremos que ser cuidadosos e acrescentar mais.

2) INGREDIENTES

*Legumes: A variedade é enorme, mas é melhor evitar combinar muitos vegetais diferentes numa receita.

Para sopas e ensopados de inverno, é melhor começar por refogar algumas cebolas ou alho-porro, com óleo de boa qualidade e uma pitada de sal. Quanto mais tempo nós refogamos (10-15 minutos / lume médio SEM TAMPA) mais rico,  doce e satisfatório será o resultado final.

-Podemos então adicionar outros vegetais ou outros ingredientes. Se no prato vamos incluir cereais ou leguminosas, podemos cozinhá-los primeiro e antes de adicionar os vegetais para evitar que se desfaçam com tanto tempo de cozimento.

*Cereales integrais: Todos os cereais são ideais para este tipo de pratos (arroz, cevada, aveia, milho painço (milet), quinoa ...). Podemos usá-los cozidos (sobras da refeição anterior) ou crus. Se eles forem integrais e crus, podemos torrá-los levemente numa frigideira com algumas gotas de óleo para adicionar mais calor interior ao prato.

 

 

Também podemos usar todos os tipos de massas integrais, tanto cozidas como cruas e cozinhadas com o resto dos ingredientes. Tenha em consideração que quando cozinhar cereais numa sopa ou ensopado, devemos usar mais líquido e também seria muito útil ter uma placa difusora à mão, se a nossa chama não puder ser bem controlada, pois há o perigo de que se pegue.

*Leguminosas: os problemas de digestão, gases e flatulência que por vezes ocorrem são consequência de cozinhá-las inadequadamente. O procedimento deve ser: demolhe as leguminosas durante uma noite inteira (não use a água da imersão). Cozinhe sempre com uma pequena quantidade de alga kombu ou wakame. Cozinhe-as por tempo suficiente para que fiquem completamente macias. Não as tempere com molhos salgados até que estejam completamente macias. Deixe mais alguns minutos cozinhando para que o tempero salgado seja integrado.

Se ainda houver problemas, você pode passar num passador/filtro e retirar as peles, adicionando o creme resultante ao ensopado.

É importante usar uma placa difusora ao cozinhar leguminosas.

Podemos não ter tempo para cozinhar leguminosas, então ainda podemos elaborar estas receitas com algumas leguminoas comprados de boa qualidade.

É uma questão de experimentar e sentir no nosso corpo os resultados reais destes pratos tão tradicionais e importantes na nossa cozinha de inverno.

*Outras proteínas vegetais:

Você também pode adicionar aos ensopados, sopas, um pouco de proteína vegetal para realçar e aumentar o valor da nutrição. Você pode adicionar um pouco de tofu, tempeh ou seitan.

*Algas: As algas são um ingrediente fundamental em qualquer prato para o inverno, criando calor interior, remineralizando-nos, alcalinizando o nosso sangue e reforçando-nos.

Podemos usar variedade: a alga kombu é ideal, embora deva ser cozinhada por um longo período (mínimo 35-40 minutos). Tempo precisamos para cozinhar leguminosas ou cereais num guisado. Se o ensopado é apenas de legumes (cozedura mais rápida), podemos usar uma alga mais leve: wakame ou alga doce...

 

 

*Sabores

A variedade pode ser infinita, podendo usar uma grande quantidade de ingredientes naturais, sem a necessidade da pastilha de caldo com sabores concentrados e artificiais. As nossas avós não as usavam. Podemos usar uma variedade de ervas aromáticas e boas picadas com amêndoas ou avelãs, um toque de gengibre ...

 

*Temperos

Para dar mais corpo a uma sopa quente, é importante apenas usar um pouco de sal marinho quando refogar as cebolas no início.

No final da cozedura, depois de corrigir a consistência, adicionando mais líquido, se necessário, pode adicionar um pouco de miso (puré fermentado da soja amarela com qualidades de reforço, regeneração da flora intestinal, aquecimento) ou molho de soja (mesmas qualidades).

Quando terminar o caldo, a sopa, ou ensopado, antes de apagar o lume, adicione o miso ou molho de soja ou tamari, deixe-o ativar (sem ferver) durante 30 segundos.

Ver todas as notícias

Outras Notícias


Tem alguma dúvida? Contate-nos


RECEITAS

EVENTOS